quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

DEPUTADOS USAM A TRIBUNA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PARA CRITICAR A INTERFERÊNCIA DO GOVERNO NA ELEIÇÃO DA PRESIDENCIA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA


Resultado de imagem para ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO CEARA

A eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa continua a repercutir nos bastidores da Casa. 

O deputado Roberto Mesquita (PSD) foi um dos que criticou a possível interferência do Governo do Estado na eleição da Mesa. De acordo com ele, “notícias dão conta de que cargos foram oferecidos” para garantir a reeleição de Zezinho.

Roberto Mesquita afirmou que decisões “não republicanas” foram tomadas para conduzir o resultado das eleições. Ele lembrou, ainda, o caso do deputado Osmar Baquit (PSD), que chegou a afirmar, na tribuna, que deveria ser estimulada alternativa para a condução do Parlamento. “No entanto, mudou de posição de última hora e agora voltou para o cargo de secretário de Estado”, lamentou.
Os deputados Joaquim Noronha (PRP) e Odilon Aguiar (PMB), em aparte, também repudiaram a mudança de voto de vários parlamentares no pleito para a Mesa Diretora da AL. De acordo com Joaquim Noronha, se os deputados que mudaram de posição não combinaram previamente com seus respectivos partidos, deveriam ter mantido sua palavra ou não ter entrado em acordo com o outro lado.

Odilon Aguiar também lamentou a “falta de palavra” dos parlamentares. Segundo ele, muitos dos que votaram a favor da chapa vencedora “viviam se lamentando da falta de institucionalidade da Casa”. “Houve truculência e arbitrariedade nessa eleição, assim como a falta de coragem e palavra de muitos companheiros”, reclamou.