quinta-feira, 24 de setembro de 2020

EM ESTADOS COMO CEARÁ E PIAUÍ, PROMOTORIAS ABRIRAM INVESTIGAÇÕES PARA APURAR CASOS DE AGLOMERAÇÃO EM ATOS DE CAMPANHA

 



Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso definiu em agosto que não haveria uma orientação nacional para a realização de atos de rua em meio à pandemia, delegando a responsabilidade para estados e municípios. No plano sanitário que define os protocolos para as eleições, o TSE recomendou que os atos de campanha sejam realizados em espaços amplos e abertos, evitando distribuição de material impresso.


Em estados como Ceará e Piauí, promotorias abriram investigações para apurar casos de aglomeração em atos de campanha.

Nos vídeos das convenções, é possível constatar que não houve uma distância de menos 1,5 metro entre as pessoas presentes.